A Múmia encontra Jet Li

Papel de parede postado no blog In Production With Rob Cohen - Clique para ir
Brendan Fraser volta a encarnar o aventureiro Rick O’Connell, um cover engraçadinho do Indiana Jones e especialista em enfrentar múmias egípcias. Como 2008 é o ano chinês das Olimpíadas, nada mais coerente do que sua nova aventura acontecer nesse país. A história se passa em pleno ano de 1946, logo após a Segunda Grande Guerra, quando Rick, já aposentado, tem que levar um precioso artefato de volta a um museu, em Shangai.

Conforme explica o diretor Rob Cohen em seu blog da produção, The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor tem tudo para agradar os fãs de aventuras: uma viagem épica através do Himaláia com avalanches, aterrissagens forçadas, dragões de três cabeças, batalhas épicas, os lendários Yeti (Abominável Homem das Neves) e Shangri-la e até mesmo o exército de terracota (um tesouro arqueológico mundialmente conhecido como os Guerreiros de Xi’an) entra no filme, como pode ser visto no papel de parede postado no blog do diretor (veja e clique na imagem acima, que ilustra este texto).

Este novo lançamento tem grandes chances de ser melhor do que o segundo filme da franquia, que é um verdadeiro desastre. O diretor realizou Dragão: A História de Bruce Lee (Dragon: The Bruce Lee Story) e Coração de Dragão (Dragonheart), dois filmes que gosto muito. A participação de Jet Li e Michelle Yeoh, excelentes lutadores de artes marciais, garantem cenas de ação assombrosas. Aguardemos, então, novas notícias.

The Mummy: Tomb of the Dragon Emperor estréia nos Estados Unidos em 1º de agosto; ou seja, menos de três meses depois do lançamento do novo filme de Indiana Jones. Isso também não é mera coincidência!

Para ler mais, clique aqui.

Os super-heróis de Hanna-Barbera

Super TV Heroes 7 - Clique para ampliarEncontrei essa revista aí do lado por esses dias e isso me lembrou da época em que a Hanna-Barbera começou a deixar de lado personagens como Zé Colmeia, Dom Pixote e cia, para investir no filão dos super-heróis e da aventura. A partir do final da década de 60 ela contratou o brilhante artista Alex Toth para desenvolver inúmeros personagens que poderiam ser bastante similares a tantos outros que já existiam nos quadrinhos, mas com o toque característico do estúdio de animação.

O primeiro deles foi Space Ghost. Logo chegariam os Herculóides, o poderoso Mightor, Shazzan, Jonny Quest e tantos outros. A revista em quadrinhos Hanna-Barbera Super TV Heroes publicava as aventuras desses personagens. A número 7, cuja a capa ilustra este texto (clique nela para ampliá-la) foi Space Ghost, The Mutant Planet - Clique para ampliarlançada nos Estados Unidos pela Gold Key, em outubro de 1969, e trazia quatro histórias curtíssimas (como nos desenhos animados) em 36 páginas coloridas impressas num papel jornal. A primeira era dos Herculóides na aventura The Ruthless Reducers; a segunda trazia o Poderoso Mightor em Wrath of Tazarr; em seguida, Moby Dick em The Submarine Pirates. Finalizando a revista, Space Ghost enfrenta The Mutant Planet, com o traço refinado e inconfundível de Dan Spiegel (página à esquerda).

Para fazer o download de papéis de parede de Mighty Mightor, clique aqui.

Em breve publicarei uma série de papéis de parede com outros personagens dessa revista. É só aguardar um pouco.

Cheyenne e a terceira série dos Reis do Faroeste

Cheyenne - Clique para ampliar
A revista aí de baixo relançava o tradiconal título Reis do Faroeste, da Editora Brasil-América (Ebal) em sua 3ª série, trazendo duas aventuras de Cheyenne, personagem interpretado na TV por Clint Walker. Eram elas A Oeste do Rio e Na Alça da Mira. A publicação chegava às bancas em janeiro de 1970 e trazia a seguinte Conversa do Diretor, publicada na página 2 da revista, que conta um pouco da trajetória de Reis do Faroeste:

“O primeiro número de Reis do Faroeste surgiu em julho de 1953. Há quase 17 anos. Publicando uma espetacular capa de Buck Jones, um dos reis do faroeste, lavrávamos um Reis do faroeste - Cheyenne 1tento espetacular entre a garotada de todo o Brasil. Foi um sucesso sem precedentes!

Pelo que lembramos, a tiragem, então, foi de quase cem mil exemplares, e a história se intitulava A Estrada do Diabo. Emocionante o enredo! Buck Jones conquistou os seus admiradores, que nos escreveram logo, pedindo mais e mais.

Mas a verdade é que Buck Jones não era o único dos reis do faroeste. Havia outros: Johnny Mack Brown, Bill Elliot, Rex Allen – todos mocinhos do cinema. E foi assim que todos estes apareceram, cada um com sua própria aventura, nos números seguintes de Reis do Faroeste. Somente no 5º número foi que Buck Jones voltou. Desta vez, em A Caravana Perdida. E mais nos números 9, 13, 17, 22, 27, 31, 35, 39, 43, 47, 52, 56 e 74, todos da primeira série.

Além dos heróis que acima citamos, também apareceram, em Reis do Faroeste, aventuras de Wyatt Earp, Matt Dillon e Kit Carson.

Agora, passados quase dezessete anos, voltamos a publicar Reis do Faroeste, depois de um curto espaço de parada em sua circulação. E, desta vez, voltamos com um herói do aí-mocismo que há de fazer delirar a moçada: Cheyenne!

Cheyenne é jovem! Cheyenne é forte! Cheyenne é justo! Cheyenne é simpático! Cheyenne desafia os maus, protege os fracos, expõe-se aos maiores perigos! Vocês hão de gostar de Cheyenne, tornar-se-ão seus amigos!

O aparecimento de Cheyenne no princípio do ano de 1970 é para comemorar o Jubileu de Prata da Editora Brasil-América. Foi justamente em maio de 1945 que iniciamos as nossas atividades. Terminava a Segunda Grande Guerra. Renasciam as esperanças do mundo por uma paz duradoura.

Há vinte e cinco anos, trabalhamos nesta casa, ininterruptamente. Foram centenas de milhões de revistas que daqui saíram. Milhões de álbuns e livros. Uma existência para bem servir aos jovens e às crianças.”

Para baixar um papel de parede de Cheyenne, clique aqui. O desenho que ilustra este texto faz parte da abertura da história Caçada Humana, publicada no número 7 da revista.
Quer assistir um trecho rápido da série de TV? Clique aqui.

Speed Racer no cinema: fotos do elenco

Mach 5 - Clique para ampliar
Nunca fui fã do Speed Racer, mas concordo que o filme baseado nessa série de animação japonesa será um grande evento Speed Racercinematográfico para milhões de fãs e até para quem não curte tanto o personagem. É que o time que o está produzindo é de primeira. Os irmãos Andy e Larry Wachowski, que criaram e dirigiram a trilogia Matrix (e não realizaram nenhum filme depois dela), retornam com a bola toda nesta produção de Joel Silver, que já trabalhou com a dupla na série de ficção científica estrelada por Keanu Reeves. Joel Silver é um experiente produtor de cinema e responsável por grandes sucessos de bilheteria, como a série Máquina Mortífera, Duro de Matar e Duro de Matar 2, Predador, V de Vingança entre outros.Susan Sarandon - Clique para ampliar

Outro grande êxito da produção é o excelente elenco, onde se destacam nomes como Susan Sarandon, Christina Ricci (que está belíssima), o divertido John Goodman e, estreando numa superprodução cinematográfica, depois de estar perdido numa ilha maluca, Matthew Fox. Há que se registrar também a presença do eterno Shaft, Richard Roundtree, Christina Ricci - Clique para ampliare do conceituado ator japonês que foi discípulo de Sonny Chiba, Hiroyuki Sanada. Este pode ser visto nos cinemas brasileiros atualmente no filme A Hora do Rush 3, com Jackie Chan, e nas locadoras, no filme O Último Samurai, com Tom Cruise.Matthew Fox - Clique para ampliar

Para ver se os irmãos Wachowski vão dar conta do recado, teremos que esperarJohn Goodman - Clique para ampliar até o dia 9 de maio, quando Speed Racer estréia nos cinemas dos Estados Unidos e até o início de junho, quando deve chegar ao Brasil.

As fotos que ilustram este texto já estão disponíveis no site oficial do filme desde o dia 31 de maio, e foram feitas durante a coletiva de imprensa com o elenco, que aconteceu em Berlim (Alemanha), mas você pode clicar nelas para ampliá-las. Na foto de baixo, o ator que interpretará o papel de Speed Racer, Emile Hirsch, ao volante do lendário carro Mach 5.

Clique aqui para ver um slideshow que preparei com fotos dos atores e o Mach5 e aqui para ir à página do filme Speed Racer na Wikipedia.
Hirsch ao volante do Mach 5 - Clique para ampliar

Jack Kirby, o criador de heróis

Tales of Suspense #58 - Clique para ampliarThe Mighty Thor #177 - Clique para ampliar
Na terça-feira passada, 28 de agosto, dia em que Jack Kirby completaria 90 anos, Tom Brevoort, Editor Executivo da Marvel, fez uma homenagem ao grande criador de heróis Kid Colt Outlaw #116 - Clique para ampliarselecionando no site da editora as 38 melhores capas de Kirby produzidas para a Marvel Comics, além de postar um pequeno texto-tributo em seu blog. Apesar desta seleção ser bem parcial, pois não contempla os trabalhos de Kirby em outras editoras, as capas selecionadas (que podem ser conferidas aqui) dão uma pequena mostra da genialidade deste monumental artista dos quadrinhos.

Jacob Kurtzberg, seu nome de batismo, foi um dos mais importantes e aclamados artistas da arte seqüêncial nos Estados Unidos. Seu traço marcante e enérgico influenciou uma geração de desenhistas e seu talento criativo foi o responsável Fantastic Four #39 - Clique para ampliar(e co-responsável) pelo surgimento de grandes personagens das histórias em quadrinhos, que marcaram época e fazem parte da cultura pop mundial, como o Quarteto Fantástico, Hulk, X-Men, Thor, Surfista Prateado, Galactus, Capitão América, Homem de Ferro, Os Novos Deuses, Magneto, Os Inumanos, Ego – o Planeta Vivo, Kamandi, Darkseid e muitos outros. Embora suas capas sejam marcantes, Kirby se destacava contando uma história e desenhando-a. A estrutura gráfica de seus quadrinhos, o movimento de seus personagens e as imagens épicas que ele construía davam uma nova dimensão às suas histórias. Além de um fenomenal desenhista, Kirby foi também escritor e editor de quadrinhos. Não era sem razão que ele era chamado de Jack “King” Kirby.

Tales of Suspense #82Das 38 capas selecionadas por Brevoort no site da Marvel, escolhi dez e fiz um slideshow que pode ser conferido clicando-se aqui.
Todas as capas desse slideshow podem ser clicadas e ampliadas. As quatro que ilustram este texto também podem ser ampliadas, bastando que você clique nelas (duas delas não estão no slideshow, mas fazem parte da seleção de Brevoort).
A capa da revista Tales of Suspense #82 (à esquerda), foi publicada no Brasil na revista O Capitão Z, número 9, lançada pela Editora Brasil-América (Ebal) em abril de 1968. A revista trazia as aventuras do invencível Homem de Ferro com as histórias A Volta do Homem de Titânio e Que Vença o Mais Forte, ambas de Stan Lee e Gene Colan; e Capitão América com o início da história Caveira, o Supremo, de Stan Lee e Jack Kirby.

Fiz papéis de parede com diversos personagens criados por Jack Kirby, que podem ser vistos clicando-se nos nomes dos heróis com links, no texto acima. No menu ao lado você pode ler mais sobre os personagens citados neste texto.

O espaço de Favreau e do Homem de Ferro

Homem de Ferro - Clique para ampliarHomem de Ferro - Clique para ampliarHomem de Ferro - Clique para ampliar
Não é a primeira vez que o diretor Jon Favreau, de O Homem de Ferro, filme que será distribuído mundialmente pela Paramount, se envolve com um personagem da Marvel. Como ator, Favreau fez o papel do sócio do Demolidor, “Foggy” Nelson, no filme do herói cego. Mas, para que é fã da série Friends, deve lembrar dele como Pete Becker, o namorado multimilionário (e maluco) da Mônica.
Sem perder tempo, Favreau criou um espaço no MySpace onde é o moderador do grupo Iron Man Group para divulgação das novidades da superprodução da Marvel que ele dirige (e promove muito bem). Lá, o visitante pode conferir alguns desenhos bem bacanas do super-herói postados pelos internautas. Escolhi as três imagens aí de cima para ilustrar este texto e dar uma idéia do que pode ser encontrado por lá. Para visitar o espaço do Jon Favreau clique aqui.