Cadê o filme do Judoka?

CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Se tem um filme que eu (e um monte de gente) gostaria de assistir de novo, esse filme é O Judoka! Você não sabe do que estou falando? Se você não tem bem mais de 40 anos certamente não vai saber mesmo. O Judoka é um filme danado de ruim baseado no personagem de histórias em quadrinhos criado por Pedro Anísio e Eduardo Baron para a Editora Brasil-América, Pedro Aguinaga posa junto ao poster promocional do filme O Judoka - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOa lendária Ebal. Dirigido por Marcelo Ramos Motta, que nunca havia realizado um filme antes (e nem depois), O Judoka tem em seu elenco nomes como Elizângela (foto abaixo), atriz que na época atuava na novela Cavalo de Aço, da Rede Globo, e Maria Pompeu, veterana atriz que atuou recentemente na novela Ciranda de Pedra e na minissérie Queridos Amigos, ambas também da Rede Globo. Mas, coitado do herói… quem foi escolhido para encarnar o personagem nessa produção de quinta, foi o modelo e, na época, o “homem mais bonito do Brasil” e “o fino que satisfaz”, Pedro Aguinaga (foto ao lado)!!! Imaginem o que acontece, então, nas telas de cinema, quando os fãs viram o rapaz usando uma malha verde e um quimono, tentando “lutar” judô e karatê (foto do alto)!!! Foi uma piada. As cenas de ação são tão toscas que chegam a ser hilariantes. Por isso tudo vale a pena ver de novo esse trash esquecido do cinema nacional. Um dia, quem sabe, alguém consegue fazer uma sessão nostalgia com O Judoka, para delírio dos fãs!

Abaixo reproduzo o texto publicado numa das Notícias em Quadrinhos das revistas da Ebal que fala da aquisição de O Judoka pela Ipanema Filmes. As fotos que ilustram este texto são reproduções de cenas do filme publicadas na mesma seção:
Olha a carinha da Elizângela, ao lado do Pedro Aguinaga e sendo observada pelo Carlos Aquino, o vilão da trama - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
A distribuição de O Judoka foi comprada pela Ipanema Filmes, da Atlântida. Para os nossos leitores que não entendem o significado disso, a Ipanema Filmes, subsidiária de Roberto F. Farias Produções Cinematográficas, é a distribuidora com maior número de filmes de sucesso do Brasil: Roberto Carlos em Ritmo de Aventura, Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa, Os Paqueras, Roberto Carlos a 300 Km Por Hora, Os Machões
Foram os maiores sucessos do cinema nacional, sem esquecer As Aventuras com Tio Maneco, do impagável Flávio Migliaccio.

Quando a Ipanema Filmes se deu ao trabalho de comprar os direitos da distribuição, provou que acredita em O Judoka e aumentou espetacularmente as chances de sucesso do filme de aventuras, baseado na revista da Ebal. Nossas saudações a esse novo aliado, e nossos votos de que este seja o primeiro passo para muitos sucessos mútuos, no futuro.

Pedro Aguinaga no set ao lado de Geraldo Gonzaga e Ségio Panta - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOA Universidade Gama Filho está seguindo, com a maior atenção, o progresso de O Judoka em direção às telas brasileiras. É conhecido o interesse do Professor Gama Filho pelo Judô, segundo esporte do Brasil em popularidade, logo depois do futebol. Alunos da Gama Filho têm conquistado prêmios internacionais em campeonatos de Judô. As aulas de Judô, na Gama Filho, são intensivas e de grande apuro técnico. O que vocês não sabem é que aquela universidade ajudou a filmagem de O Judoka, desde o início.

As cenas de escritório do vilão, o desonesto Marco Antunes, foram filmadas no próprio gabinete do Professor Gama Filho, em três noites seguidas de esforços intensivos. As cenas de luta de rua foram filmadas atrás da Universidade, e a Gama Filho cedeu seus cabos de força para a energia necessária aos refletores pesados.

Também o Professor Gama Filho intercedeu com as autoridades do subúrbio carioca de Piedade, para que a equipe de O Judoka tivesse apoio completo durante os cincos dias, ou antes, as cinco noites em que lá trabalhou. Isto apenas vem provar, novamente, o que todos já sabíamos: o espírito jovem e progressista do Professor Gama Filho, e da íntegra Universidade de que ele é a força orientadora.
Com mais cabelo do que o personagem pedia, Eiichi Iwata interpreta o shiran mágico Minamoto, mestre de O Judoka - CLIQUE NA FOTO PARA AMPLIAR

7 comentários em “Cadê o filme do Judoka?

  1. Apesar de ter um trash-movie e ter sido feito apenas por causa das revistas da Ebal, acho que ele deveria aparecer como um doss baluartes da cultura nacional de HQ’s. Afinal, quantos filmes trahs americanos, japoneses, italianos , turcos etc. estão rodando pela net e todos adoram baixar?

  2. Lembro muito bem da ansiedade em que fiquei pra assistir esse filme. Tinha lá meus 11 ou 12 anos e acompanhava a sua produção através dos boletins do “Notícias em Quadrinhos”. Lembro também que, mais do que achá-lo mal feito ou não, curti cada minuto da fita maravilhado por constatar que um herói de Quadrinhos nacional havia ganhado um filme no cinema. Coisas assim me incentivaram não só a continuar desenhando como fazer carreira como quadrinista.

    1. Foi exatamente essa a sensação que tive também, Gustavo… apesar de reconhecer que a escolha do ator principal para viver o herói foi um desastre e de ver que o filme era capenga demais… Mas, torci muito por ele justamente por ver um personagem em quadrinhos brasileiro ganhar as telas!

      1. Tem gente que se ficasse calado seria melhor, Esse filme marcou a vida de muita gente, era um filme inocente más muito agradavel assistir 10 vezes. Até hoje causa saudades.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s