Nem sempre eram os melhores do mundo

World's Finest Comics #253
A revista World’s Finest, da DC Comics, foi lançada nos Estados Unidos em 1941 quase como um almanaque de 96 páginas e publicada até janeiro de 1986. A primeira edição saiu com o nome de World’s Best Comics, mas já no número 2 a revista ganhou seu nome definitivo. Ela foi criada para publicar, principalmente, as aventuras dos dois principais personagens da editora: Super-Homem e Batman – e seu parceiro Robin –, inicialmente em histórias separadas. Com a diminuição do número de páginas a partir da edição 71 (de julho de 1954), Batman e Super-Homem passaram a dividir as mesmas aventuras juntos. Várias dessas histórias foram publicadas no Brasil pela revista Invictus, da Ebal.

A partir da década de 70, outros heróis passaram a fazer parte do cardápio da revista, entre eles, Lanterna Verde, Arqueiro Verde, Aquaman, Mulher Maravilha, Doutor Destino, Gavião Negro, Ajax o Marciano. A partir da edição 244, a World’s Finest passou a fazer parte do grupo de revistas da DC chamadas de “Dollar Comic” por causa do aumento do número de páginas, da quantidade de histórias por edição e do aumento de preço também: a revista passou a custar 1 dólar.

Nessa época, algumas edições apresentaram uma novidade: a capa da revista continuava sua ação na quarta capa, como os dois exemplos que ilustram este texto. A capa do alto é da edição 253, de novembro de 1978, que trazia histórias de Batman & Super-Homem; Arqueiro Verde & Canário Negro; o Rastejador (The Creeper, do Steve Ditko); e Capitão Marvel. Já a capa de baixo é da edição 257, de Julho de 1979, que além do Homem-Morgego e do Filho de Kripton, trazia as aventuras do Raio Negro, Arqueiro Verde, Gavião Negro e Capitão Marvel.

As duas capas foram desenhadas por Jim Aparo, mas a maioria das histórias que a revista publicava não eram boas.
World's Finest Comics #257
Essas imagens podem ser baixadas em ótima resolução. Para tanto, basta clicar nelas.

Anúncios

DC enfrenta a Marvel nos cinemas também

Para enfrentar o avanço cinematográfico da arquiinimiga Marvel, a DC Comics está levando mais alguns de seus personagens para o cinema. Entre os projetos definidos pela Warner, estão Mulher Maravilha (Wonder Woman), Flash, Arqueiro Verde (Green Arrow) e Lanterna Verde (Green Lantern), além de, é claro, novos filmes para Batman e Super-homem (Superman). A DC não tem uma divisão de cinema, como a Marvel, e todas as decisões a respeito de novas produções passam necessariamente pela aprovação da Warner Bros. Pictures (as duas empresas pertencem ao conglomerado Time-Warner). Por isso alguns projetos demoram muito para sair do papel, como é o caso da adaptação para o cinema de Mulher Maravilha, cujo o poster-teaser foi divulgado (imagem abaixo), mas o projeto não deslanchou. O presidente da Warner chegou a afirmar à imprensa que novas produções com mulheres à frente do elenco seriam adiadas, depois do fracasso de filmes estrelados por Nicole kidman (Invasores/The Invasion) e Jodie Foster (Valente/The Brave One). Uma grande bobagem, aliás.

Mas agora parece que a coisa vai deslanchar, depois do sucesso dos filmes da Marvel, como Homem de Ferro, X-Men, Hulk e Quarteto Fantástico. Essa decisão estratégica também deve ter sido estimulada pelo enorme sucesso de Batman – O Cavaleiro das Trevas, produção que já detém a segunda maior bilheteria de todos os tempos nos cinemas dos Estados Unidos e pelos novos projetos da Marvel, que comentei aqui. Essa briga da Marvel e da DC nos cinemas vai ser o máximo para os fãs. Que venham mais e melhores adaptações!

O desenho acima que ilustra este texto foi extraído do excelente livro Mythology – The DC Comics Art of Alex Ross.
> Faça download de outros papéis de parede com desenhos de Alex Ross aqui.