Cortez no cinema

filmpostershorror-capant
Capa do livro Film Posters Horror (acima), com uma seleção gráfica dos melhores cartazes de cinema do mundo. Ao lado, cartaz do clássico de horror, Maldição de Sangue de Pantera (The Curse of the Cat People), desenhado por Jayme Cortez.

Cartaz de cinema do relançamento de Maldição do Sangue de Pantera, pela Polifilmes. Criação Álvaro de Moya e desenho de Jayme Cortez.

Jayme Cortez não era apenas um genial desenhista de histórias em quadrinhos. Ele usou seu talento para militar em diversas áreas das artes gráficas, como a publicidade, capas e ilustrações de livros, animação e tinha uma paixão especial pelo cinema. Além de atuar (isso mesmo! nosso desenhista participou como ator em filmes do Zé do Caixão!), ele foi um grande designer de cartazes da sétima arte. Entre tantos trabalhos realizados, um de seus melhores é destaque no livro Film Posters Horror, da Evergreen/Taschen Gmbh, lançado em 2006 (ao lado), que faz um levantamento dos melhores cartazes de cinema do mundo. Há obras de artistas de várias nacionalidades, entre ingleses, italianos, japoneses, alemães, americanos etc. Do Brasil, o único trabalho citado é este desenhado pelo mestre Cortez. Trata-se do clássico do produtor Val Lewton, The Curse of the Cat People, realizado pela RKO, com Simone Simon e Kent Smith.

No Brasil, a produção ganhou o nome de Maldição de Sangue de Pantera. Lançado em 1944 nos Estados Unidos, ele foi relançado pela Cinematográfica Polifilmes nos anos 60 e o poster (que vemos no alto) foi criado no Brasil por nada mais, na menos que a dupla de amigos Álvaro de Moya e Jayme Cortez. Aconteceu o seguinte: Moya era associado da distribuidora e recomendou o capista da revista Terror Negro, da Editora La Selva, para fazer o novo cartaz. E assim foi feito. Moya criou o layout e o texto e Jayme Cortez realizou a belíssima arte final, que foi destaque de página inteira no livro.

A dupla também produziu outro cartaz de um clássico relançado pela Polifilmes: trata-se de Ilha dos Mortos (Isle of the Dead), de Mark Robson, com o pst-ilhadosmortos-cortez-nteterno Frankenstein, Boris Karloff, além de Ellen Drew e Alan Napier (o ator que fez o mordomo Alfred na espalhafatosa série de TV Batman, dos anos 60).

Como curiosidade, Maldição de Sangue de Pantera foi iniciado pelo excelente diretor Gunther V. Fritsch, que foi considerado pela RKO um realizador muito lento para finalizar uma produção classe B e ele foi substituido pelo montador de Cidadão Kane, Robert Wise, que mais tarde dirigiria outros grandes filmes, como West Side Story, Noviça Rebelde e… Jornada na Estrelas – O Filme.

Mais uma coisa: o livro Film Posters Horror traz, no final, um índice dos filmes e outro com todos os artistas, designers e fotógrafos que criaram os cartazes dos filmes de horror citados. Mas, infelizmente, não adianta procurar o nome de Jayme Cortez. É que os editores da publicação escreveram o nome do desenhista errado! Lá, eles grafaram como arte de Payne Gomez. Uma pena. Desculpe o trocadilho, mas esse foi um erro nada cortês…
Por Francisco Ucha (com Álvaro de Moya)

Anúncios

A estréia de 30 dias de noite

Clique para ampliar esta foto
Daqui a 30 dias estréia nos cinemas brasileiros 30 Dias de Noite (30 Days of Night), baseado na elogiada graphic novel de horror criada por Steve Niles e ilustrada por Ben Templesmith. Nos Estados Unidos, o filme (cujo trailer você pode assistir clicando aqui) Clique para ampliar esta fotoestreou neste final de semana em primeiro lugar, arrecadando US$16 milhões em três dias de exibição. Não foi lá uma grande bilheteria, mas as outras estréias não tiveram fôlego para enfrentar os vampiros sanguinários. Por aqui, a Devir já lançou os três títulos pertencentes à esta saga de terror. São eles, 30 Dias de Noite – Retorno a Barrow, Dias Sombrios, além de, é claro, o primeiro da série, 30 Dias de Noite, que teve prefácio escrito pelo mestre do terror, Clive Baker, criador da série Hellraiser. Segundo ele, 30 dias de Noite tem “uma narrativa que começa acelerada e nunca diminui seu ritmo” e recomenda sua leitura “com a certeza de que, se você tem paladar para a verdadeira ficção de terror, irá encontrá-la nas Clique para ampliar esta fotopróximas páginas”. (Para ler o texto completo, clique aqui). O filme, dirigido por David Slade, realizador Hard Candy (cujo título em português é um constrangedor “Menina Má.Com“) deve manter o nível dos quadrinhos. Pelas fotos que publico aqui (clique nelas para baixar em alta resolução), você pode curtir um pouco as criaturas sanguinárias que desfilam na tela.

Para baixar papéis de parede que fiz a partir dos posteres deste filme, clique aqui.