Jason Statham, o homem de aço

Jason Statham - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Desde que fez o primeiro Carga Explosiva, em 2002, Jason Statham já participou de 16 filmes, já contabilizando os três de 2008 – Efeito Dominó (The Bank Job), Corrida Mortal (Death Race) e Carga Explosiva 3 (Transporter 3), que será lançado no Brasil no final de novembro. Isso significa que o ator CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE POSTERparticipou de mais de 2 filmes por ano, nos últimos sete anos. E todos os filmes são classificados no gênero ação ou policial. Exceto a comédia A Pantera Cor de Rosa. Mas, neste filme ele teve uma participação relâmpago (e não creditada), morrendo com o diamante logo no início do filme. Especialista em filmes de ação, Jason Statham foi comendo pelas beiradas e hoje já tem um nome de destaque nesse gênero. 

Agora Statham pode ser visto nas telas de cinema no filme Corrida Mortal, cujo poster reproduzimos ao lado (para ampliá-lo, basta clicar nele). A foto de cima mostra uma cena inicial dessa produção que foi comentada no release de divulgação para imprensa do filme, quando se explica onde foram feitas algumas das externas. Leia:

“Para tomadas externas da Prisão de Terminal Island, a equipe filmou na cadeia abandonada St. Vincent de Paul, no Canadá. Apesar de estar fechada há mais de uma década, os grandes pátios externos e internos CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOeram exatamente o que a produção desejava para a penitenciária. Sobre o realismo da locação, o ator Tyrese Gibson (que interpreta Machine Gun Joe Mason) comenta: “Não era preciso atuar. Era só dar uma olhada ao redor, ver as grandes e antigas paredes e o arame farpado para se concentrar no que estávamos fazendo ali.” Houve, no entanto, uma “aliviada” para os “novos detentos”. Como a St. Vincent era muito úmida, degradada e perigosa, a parte interna da Terminal Island foi gravada dentro dos depósitos de Pointe St. Charles.

A cena de abertura do filme, por sua vez, foi feita em uma siderúrgica de verdade. A produção obteve permissão da usina para filmar no local como se fosse um documentário, com Statham entre os verdadeiros operários enquanto enormes caldeirões cheios de aço fundido eram despejados ao fundo. O resultado ficou tão bom que quase parece real. Em uma cena-chave, Statham caminha em direção à câmera e tira seu capacete, com aço derretido sendo derramado atrás dele. Parece efeito visual – o ator contra um fundo verde –, mas ele de fato estava ali”.

 para baixar papéis de parede com os carros radicais utilizados na Corrida Mortal.
Para conferir o trailer do novo filme,

Ano 2012, Corrida Mortal

Jason Statham como Frankenstein - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOAmanhã estréia Corrida Mortal, filme de Paul W.S. Anderson baseado no clássico trash-movie Ano 2000 – Corrida da Morte (Death Race 2000), dirigido por Paul Bartel e produzido pelo lendário Roger Corman em 1975. A nova produção chega ao Brasil com uma péssima carreira nos Estados Unidos. Lá, o filme teve uma bilheteria medíocre, arrecadando pouco mais de US$33 milhões em 24 dias em cartaz. Diferente da versão original, que é assumidamente despretenciosa e politicamente incorreta, a nova Corrida Mortal é soturna e se leva a sério demais. Mas tem aquele clima violento de muitos games famosos. Justamente por isso, quem gosta de games de corridas malucas e selvagens, pode se divertir muito com o filme.
CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
A história se passa daqui a quatro anos, quando os Estados Unidos estarão mergulhados numa profunda CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOcrise econômica onde fábricas fecharão todos os dias deixando milhões de trabalhadores desempregados (Ok, ok… isto é uma ficção e não tem nada a ver com o que está acontecendo hoje na economia americana). Numa dessas fábricas trabalhava Jensen Ames (Jason Statham) que, no mesmo dia em que perde o emprego, perde também sua mulher, assassinada por um misterioso criminoso. Pior: ele leva a culpa pelo crime e é enviado a uma prisão dirigida pela inescrupulosa Warden Hennessey (Joan Allen), que criou um dos maiores sucessos americanos desse futuro caótico: a tal Corrida Mortal, uma disputa num circuito dentro da prisão onde a única regra é não haver regras. Ali vale tudo e somente quem conseguir sobreviver e vencer cinco vezes ganhará o prêmio máximo: a liberdade!
CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Natalie Martinez - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM ALTA RESOLUÇÃOCada corredor tem sua equipe, um carro-arsenal-blindado e uma co-piloto selecionada entre as meninas-más de uma prisão feminina. Para a sorte dos corredores e prisioneiros, todas são gostosas, fazem caras e bocas e andam em câmera lenta. Depois das primeiras voltas, as armas são liberadas e a carnificina aumenta. Mas, ao contrário do filme de 1975, só há uma morte engraçadinha (ela é mostrada no fim do trailer). A versão original, ao contrário, prima pela criatividade nas mortes, já que o vencedor dessa corrida é o piloto que… atropela mais pessoas!!! Mulheres atropeladas valem menos pontos, mas velhinhos (de qualquer sexo) valem a pontuação máxima! Isso pode ser engraçado? Pode. E é completamente “politicamente incorreto” também. O mestre Roger Corman era especialista nesse tipo de filme: o grotesco com molho de tomate pra todo lado. A corrida atravessava o continente e muitas pessoas iam para as estradas desafiar o perigo e provocar os pilotos. Claro que isso geralmente acabava num atropelamento maluco para o deleite da platéia no cinema. Assim como na nova versão, dois pilotos buscavam a vitória a qualquer preço: Frankenstein, interpretado por David Carradine (Kill Bill), famoso na época pela série Kung Fu, e o rival Joe “Metralhadora” Viturbo, interpretado por Sylvester Stallone, que no ano seguinte ganharia fama por Rocky, Um Lutador.
Jason Statham - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
 para baixar papéis de parede com os carros radicais utilizados na Corrida Mortal.
Para conferir o trailer do novo filme, . Para assistir ao trailer da versão original, de 1975, .
 
Todas as fotos que ilustram este texto podem ser ampliadas.