El Motorista Fantasma na Vértice

El Motorista Fantasma foi uma revista em quadrinhos espanhola lançada em 15 de agosto de 1974 pela Ediciones Vertice, de Barcelona, sob o selo Mundi-Comics que trazia as aventuras do Motoqueiro Fantasma (Ghost Rider). A revista era quinzenal, se chamava Super Heroes Presenta e, no número 2, volume 2, trouxe as aventuras desse famoso personagem da Marvel que já foi adaptado para as telas do cinema em dois filmes estrelados por Nicolas Cage.

A publicação tinha o mesmo formato da revista Veja (20,5 x 27 cm), com capa em papel couchê (impressa somente de um lado!) e 64 páginas em papel jornal. As histórias em quadrinhos eram em preto e branco e essa edição trazia a aventura intitulada Infierno Sobre Ruedas, de Gary Friedrich, Jim Mooney, John Tartag, Tom Orzechowski e George Roussos (e versão espanhola de C. Rivero). A segunda parte da revista trazia uma história desenhada pelo Gil Kane: El Vale del Gusano.

Em vez de a capa reproduzir o desenho original dos Estados Unidos, a ilustração foi feita na Espanha. Essa era uma prática comum por lá que aumentava o mercado de trabalho e valorizava o desenhista espanhol. Pena que o autor dessa capa não foi creditado. Neste site, as capas da Vértice são creditadas também para o renomado desenhista espanhol Enric Torres-Prat “Enrich”, que se notabilizou desenhando, entre outros personagens, Vampirella. Será que ele foi o autor desta capa?

Já o colecionador e especialista em quadrinhos, Paulo Langer, informa em um grupo no Facebook, que esta capa é do grande artista espanhol, Rafael López Espí, “o mais profícuo dos ilustradores espanhóis, de sua época. Ele praticamente interpretava todos os títulos da Marvel que eram publicados na Espanha. E eram centenas de capas por ano”, define Langer. Para conhecer melhor o artista, visite este site.

Ghost Rider: entre o cowboy e o motoqueiro

Ghost Rider - versão 1973Estréia hoje nos cinemas o filme do Motoqueiro Fantasma (Ghost Rider), uma adaptação dos quadrinhos da Marvel Comics e que é uma boa surpresa, pois o roteiro procura manter-se fiel ao personagem (diferente do que tem acontecido com uma boa parte dos filmes baseados nos comics). Nicolas Cage encarna o personagem com aquela cara de sofredor que ele sabe fazer muito bem. Ele faz o básico para dar vida a Jonny Blaze e coloca um certa dose de ironia no personagem. Vera Mendes, o par romântico de Blaze, é deslumbrante (para dizer o mínimo). Mas, uma boa parte da crítica (principalmente a americana) detestou o filme e a “atuação” de Cage (esses críticos são muito ranzinzas ou não entendem nada de quadrinhos…). Realmente não há nada de mirabolante na história, apenas o necessário para um entretenimento eficaz e que respeita o personagem! A caveira flamejante cumpre sua função, embora eu tenha detestado a solução que a turma dos efeitos especias deu para as mãos do motoqueiro; preferia que ele usasse luvas, como nos quadrinhos.Ghost Rider - versão 1950

Quem escreveu muitíssimo bem sobre o filme, foi a jornalista Flávia Guerra, do jornal O Estado de S.Paulo, em sua resenha que você pode ler aqui. Ela mostra que conhece o personagem e que está por dentro ao destacar as ótimas e fundamentais participações de Peter Fonda e Sam Elliot.

Mas, poucos perceberam a grande sacada do filme! Foi muito boa a idéia de homenagear o Ghost Rider original, incluindo um misterioso personagem que orienta Blaze no início de sua jornada. Pois é… o Ghost Rider original é um pistoleiro criado pelo desenhista Dick Ayers e o escritor e editor Vince Sullivan em 1950, inspirados pelo grande sucesso musical da época, Ghost Riders in the Sky, canção que os produtores do filme incluíram, espertamente, na trilha sonora.

A revista do cavaleiro de branco foi publicada pela Magazine Enterprises e durou até que o famigerado Comics Code (um absurdo código de ética norte-americano instituído para manter “a moral e os bons costumes” nas publicações) eliminasse, uma a uma, todas as publicações com histórias de terror, levando muitas editoras à falência.

Ghost Rider, versão 1967Em 1967 Dick Ayers já estava na Marvel e o código havia perdido a força. Assim ele pôde retornar com o personagem numa nova fase, que durou pouco. No início da década de 70 surgiria, finalmente, o novo Motoqueiro Fantasma na revista Marvel Spotlight.

Para saber mais, visite os links abaixo:
Ghost Rider na Wikipedia – artigo completíssimo
Reproduções das capas das revistas do personagem no site The Grand Comics Database Project: Ghost Rider de 1950, de 1967, de 1973.
International Hero – Texto sobre o primeiro Ghost Rider
Marvel Directory – Sobre o motoqueiro
Captain Comics – Um texto esclarecedor sobre os personagens
O cowboy no Toonopedia

E para baixar papéis de parede do Motoqueiro Fantasma, clique aqui, aqui ou aqui.

Quando o carnaval chegar

Enquanto o carnaval não chega, os fãs de Ghost Rider, o personagem da Marvel que foi adaptado para o cinema, podem curtir um site bem bacana do filme que estréia em fevereiro (nos Estados Unidos) com wallpapers, as novidades da produção e, principalmente, o trailer do filme que pode ser visto em tela cheia. Além do astro Nicolas Cage, também está no elenco Peter Fonda, o eterno motoqueiro Wyatt de Sem Destino (Easy Rider) que agora encarna Mephisto. Sem dúvida, essa foi uma ótima idéia… afinal, quem já foi um motoqueiro sem destino, sempre será um motoqueiro. E Cage, que há alguns anos sonhava em interpretar o Super-homem (!!!) nas telonas, encontrou um herói que é a sua cara. Mas o diretor do filme, Mark Steven Johnson, que desde 98 tem intercalado um filme ruim e um bom em sua carreira, deixa os fãs de quadrinhos um pouco mais tranqüilos: primeiro porque esta é a vez de Mark fazer um filme bom. Segundo porque, se nos basearmos no trailer, parece que teremos uma boa surpresa cinematográfica. Vamos aguardar!
Se você quiser baixar papéis de parede do Motoqueiro Fantasma, clique aqui.
Abaixo vemos Dennis Hopper, Peter Fonda e Jack Nicholson no filme lendário dos anos 60. E Fonda era o mais quietinho dos três…
Easy Rider