Fantomas, da Editorial Novaro

Foi uma grande surpresa quando entrei numa comic-shop em Miami, a A & M Comics & Books e encontrei dezenas de revistas do Fantomas, personagem que fez muito sucesso nas décadas de 1960 e 70 no México. Isso aconteceu em 2010. Cheguei nessa loja por acaso e acabei descobrindo que ela é, segundo o dono, a segunda comic-shop mais antiga dos Estados Unidos. É muito pequena, escura e repleta de revistas, livros, estátuas, brinquedos, jogos e muita coisa que todo fã de quadrinhos adora encontrar. São coisas penduradas por todos os lados, empilhadas, uma bagunça organizada que deixa para os clientes dois estreitos corredores nos quais os clientes se apertam para garimpar preciosidades. Me senti no meio de um armazém de secos & molhados, mas só com coisas ligadas a quadrinhos, rpg, cinema, animação, tv.

E foi olhando rapidamente esse monte de novidades que encontrei uma caixa com várias revistas da década de 1970 da Editorial Novaro, uma antiga e respeitada editora mexicana especializada em publicar revistas em quadrinhos – a maioria delas traduzidas dos Estados Unidos – e livros infantis. Esse editora teve a mesma importância que a nossa Ebal teve para os leitores do Brasil. Aproveitei para comprar várias revistas, entre elas, estas duas edições de Fantomas: o número 132, de 5 de setembro de 1973, com a história O Grande Festival de Rock em Luxemburgo (capa reproduzida acima), e o número 152, de 22 de janeiro de 1974, que coloca Fantomas numa aventura com sereias em O Aquário Fantástico (ao lado). Curiosamente, esse personagem também foi publicado no Brasil pela Ebal numa revista mensal.

Você estranhou que essas revistas do Fantomas têm dia de lançamento, e não só o mês? E que, se você calculou, em pouco mais de quatro meses foram lançadas 20 edições? Pois é, o personagem, cujas aventuras eram totalmente produzidas no México, era tão popular que sua revista saia semanalmente. Num próximo texto explico melhor essa história.

Como curiosidade, veja que na página abaixo, que mostra o início da aventura do O Grande Festival de Rock em Luxemburgo (que é inédita no Brasil), Fantomas cita o revolucionário artista Andy Warholl logo no primeiro balão, fazendo uma referência aos filmes undergrounds dirigidos e produzidos pelo papa do pop.

A aventura O Aquário Fantástico apresentada na edição de 1974 também é inédita no Brasil e foi desenhada pelo extraordinário desenhista peruano Gonzalo Mayo, que deu ao personagem o seu estilo onírico. Veja abaixo, três páginas (uma dupla e uma simples) de sua autoria para essa misteriosa aventura de Fantomas. Incompreensivelmente, Mayo teve poucos trabalhos lançados no Brasil, mas leitores antigos da conceituada revista Kripta já conhecem a beleza de seus traços. É que essa revista de terror, editada entre 1976 e 1981 pela RGE (atual Editora Globo), publicou algumas histórias de terror desenhadas pelo artista.


Clique nas imagens para ampliá-las em alta resolução!

Anúncios

Um comentário em “Fantomas, da Editorial Novaro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s