7 motivos incríveis para você apoiar o projeto O Judoka, por FHAF no Catarse

A obra genial de Floriano Hermeto será relançada num livro de luxo repleto de extras

No próximo ano será comemorado meio século de criação de um dos mais bem-sucedidos personagens dos quadrinhos brasileiros: O Judoka. Lançado pela saudosa Editora Brasil-América, carinhosamente chamada de Ebal, ele estreou em outubro de 1969, no número 7 da revista de mesmo nome, que era ocupada por Judô-Master, um personagem obscuro da editora americana Charlton Comics.

O Judoka #14O Judoka, que foi lançado com o slogan “um herói brasileiro”, conseguiu alguns feitos muito relevantes para um personagem nacional, entre eles, o de ser publicado mensalmente e sem interrupções, até julho de 1973, chegando perto de completar quatro anos de aventuras desenhadas por diversos quadrinistas.

Mas, O Judoka não fez sucesso apenas entre seus leitores. Graças a um desenhista e roteirista em especial, o personagem começou a fazer sucesso também entre a crítica especializada. Foi quando Floriano Hermeto de Almeida Filho, que assinava como FHAF, publicou sua primeira aventura com o herói brasileiro.

A partir da edição de número 14, O Judoka alcançou um patamar jamais imaginado pela Ebal e chamou a atenção de estudiosos renomados dos quadrinhos como Álvaro de Moya e Moacy Cirne. O primeiro levou os desenhos de Floriano para uma exposição internacional de quadrinhos no badalado Congresso de Lucca, na Itália.

Já Cirne elegeu a primeira história escrita e desenhada por FHAF – A Caçada – como a Melhor História do Ano em seu artigo na prestigiada Revista de Cultura Vozes, deixando para trás nomes como Mauricio de Sousa e Esteban Maroto.

O fato é que Floriano Hermeto deu maior consistência aos roteiros do Judoka e fez uma brilhante releitura da estrutura visual de suas histórias. Com o seu traço arrojado e inovador que lembra o estilo moderno de desenhistas internacionais como Jim Steranko, Guido Crepax e Enric Sió, Floriano imprimiu ao personagem agilidade cinematográfica e enquadramentos inusitados dignos dos grandes mestres do desenho.

Porém, a arte de Floriano estava perdida desde os anos 70, pois as revistas do Judoka são muito raras e ele nunca mais desenhou outras histórias em quadrinhos além das cinco que fez para a Ebal. A boa notícia é que sua obra completa está sendo reeditada no livro O Judoka, por FHAF, que está em campanha no site de financiamento público Catarse. E você pode apoiar esse projeto e garantir seu exemplar clicando neste link:
https://www.catarse.me/judokaporfhaf

Visite também a página de O Judoka, por FHAF no Facebook.

Mas, por que é tão importante resgatar a obra de Floriano Hermeto no Judoka? São, pelo menos, sete motivos para você apoiar o lançamento desse livro no Catarse:

1 – É o melhor desenhista e roteirista do Judoka! Sem desmerecer o trabalho dos outros ótimos desenhistas que passaram pelo personagem, FHAF realizou um trabalho inigualável na época;

2 – FHAF insere o personagem em tramas internacionais, com vilões que poderiam estar em filmes de 007, e dá ao personagem uma arqui-inimiga à altura: Irma la Douce;

3 – “A Caçada“, primeira aventura de O Judoka, por FHAF, ganhou relevância como a melhor história publicada em 1970, e os enquadramentos criados pelo desenhista nessa aventura são citados até hoje em livros acadêmicos sobre quadrinhos;

4 – Resgatar a obra de FHAF é manter a memória do quadrinho brasileiro. Não podemos deixar para trás a arte de nossos grandes mestres do desenho;

5 – O livro O Judoka, por FHAF terá 180 páginas e trará extras históricos, incluindo 15 páginas inéditas desenhadas por FHAF com três histórias inacabadas: uma do Judoka, outra do Zorro (The Lone Ranger) e mais outra com uma aventura no cangaço;

6 – Todas os desenhos que Floriano fez para O Judoka estão perdidos! Para este livro, sua arte está sendo recuperada através de um delicado trabalho de restauração, que ele mesmo está supervisonando, a partir das 145 páginas impressas com sua obra magistral;

7 – É uma tiragem pequena de apenas 500 exemplares, com acabamento luxuoso. Poucas pessoas terão o privilégio de ter essa obra em sua estante! Você pode ser uma delas!

Além desses motivos, quem fizer já sua reserva dessa obra fundamental no Catarse, poderá escolher entre diversas recompensas disponíveis. Portanto, vá agora mesmo à página do projeto O JUDOKA, POR FHAF e dê o seu apoio para esse resgate histórico! Divulgue o site, fale com seus amigos e curta a página do projeto no Facebook!

 

Anúncios

Uma vida dedicada aos quadrinhos

A foto abaixo foi publicada na página “Álbum de Família” da Edição Comemorativa do Cinqüentenário de Publicação do Suplemento Infantil, do jornal A Nação, transformado em Suplemento Juvenil a partir do número 15. Textos escritos por Solon Leontsinis, Naumim Aizen e Otacílio d’Assunção Barros, o Ota do Mad.

Adolfo Aizen e seu prêmio Yellow Kid, ao lado de Jayme Cortez

Clique AQUI para fazer o download da foto acima em tamanho grande.

Na legenda da foto lê-se:
Em 1975, o 11º Salão Internacional de Lucca, Itália, concede o Prêmio Yellow Kid Especial, “Uma Vida Dedicada aos Quadrinhos”, a Adolfo Aizen. Recebido em seu nome pelo ilustrador Jayme Cortez, este o entrega a A. A. durante festa realizada na sede da Editora Brasil-América (EBAL).

Mais links: Jayme Cortez e Ebal na Wikipédia. Adolfo Aizen no site Gibindex.