Um sexteto fantástico, eles são verdadeiros ícones da Marvel


Parece incrível mas em 2011, o ano em que o Quarteto Fantástico (Fantastic Four) comemorou seus 50 anos de criação não aconteceu nenhuma grande comemoração ou homenagem. E olha que a revista desses personagens antológicos, lançada com data de capa de novembro de 1961 (abaixo), marcou o início da gloriosa “Era Marvel”, quando seus criadores, o editor Stan Lee e o desenhista Jack Jirby introduziram problemas existenciais no gênero super-heróis. Ambos escreviam as histórias do Quarteto Fantástico, que foi o primeiro grupo de heróis criado para a Marvel e se tornou um divisor de águas nos comics americanos.

Os personagens Reed, Ben, Sue e Johnny ganham poderes extraordinários quando são expostos a misteriosos raios cósmicos durante uma viagem espacial. Ao voltarem à Terra, demoram a se acostumar com seus poderes (principalmente o monstruoso “Coisa“) e enfrentam problemas de despejo, reclamações de vizinhos e diversas dificuldades comuns ao dia-a-dia das pessoas, enquanto têm que enfrentar perigosos vilões! Nem “uniformes” eles vestiam nas duas primeiras edições da revista. Algo totalmente novo e criativo para a época.

Mas, como se não bastasse, Jack Kirby e Stan Lee iriam revolucionar novamente as histórias do grupo cinco anos depois, em 1966, quando seus leitores seriam apresentados a Galactus, o Devorador de Mundos (acima), e seu arauto o Surfista Prateado, este uma criação exclusiva do grande desenhista e roteirista. Foram três histórias, conhecidas como a Trilogia de Galactus, onde o Quarteto Fantástico tem que salvar o planeta de um ser gigantesco e extremamente poderoso. Nesse meio tempo, o Surfista Prateado passa de vilão a herói, ao se voltar contra o poderoso ser que ele servia!

Isso significa que em 2011 também se comemoraram os 45 anos de criação destes dois personagens ícones da Marvel: o Surfista Prateado e Galactus, o Devorador de Mundos!

Acima, a primeira aparição do Surfista Prateado. No quadro abaixo, podemos ver que a decisão de romper com Galactus para preservar a vida na Terra fez do Surfista Prateado um prisioneiro na Terra e, embora ele não tenha se arrependido, o deixou angustiado.

Como sempre acontecia, o Brasil só conheceu esses personagens muito tempo depois. O Quarteto Fantástico só foi lançado por aqui em janeiro de 1970, na revista mensal Estréia!, da Ebal. A trilogia que apresentou Galactus e o Surfista Prateado aos leitores brasileiros chegou também com muito atraso e só foi publicada em 1974, na revista do Homem Aranha (a revista com o Quarteto já havia sido cancelada e as aventuras dos quatro heróis passaram a sair na revista mensal do Cabeça de Teia). Esse atraso causou um fato inusitado: Galactus apareceu primeiro numa história do Thor publicada em sua revista mensal Álbum Gigante lançada em maio de 1970 pela Ebal. Ou seja, os brasileiros conheceram primeiro Galactus e só quatro anos depois tiveram contato com o Surfista.

As imagens em preto e branco foram digitalizadas a partir das histórias que compõe a Trilogia de Galactus publicadas nas revistas da Ebal. Todas as imagens que ilustram este texto podem ser ampliadas em ótima resolução.
Para baixar dois wallpapers exclusivos do Surfista Prateado desenhado pelo genial Moebius (Jean Giraud), CLIQUE AQUI!

Marc Webb na teia do Homem-Aranha

Clique nesta foto para ampliá-la. Ela pode se tornar um wallpaper para seu computador.
Na quarta-feira, a assessoria de imprensa da Sony informou quem será o novo diretor do próximo filme do Homem-Aranha: Marc Webb, cujo filme de estréia – (500) Dias com Ela, estrelado por  Joseph Gordon-Levitt e Zooey Deschanel – foi indicado ao Globo de Ouro de Melhor Filme (musical ou comédia). Webb é um jovem e premiado diretor de clipes musicais e tem sido muito elogiado pelo seu primeiro filme. Mas, cá entre nós, um diretor cujo nome é Webb só pode ser um predestinado! Ele tinha mesmo que dirigir um filme do fazedor de teias!

Parte do texto da Sony, com todos os seus senões, está reproduzido abaixo:

Marc Webb é o escolhido para dirigir o novo filme da aclamada franquia

CULVER CITY, Califórnia, Janeiro, 2010 – A Columbia Pictures e a Marvel Studios anunciaram conjuntamente que Marc Webb, diretor de (500) Dias com Ela, filme indicado ao Globo de Ouro como melhor filme, vai dirigir o próximo capítulo da franquia Homem-Aranha, que chegará aos cinemas no verão americano de 2012. Escrito por James Vanderbilt, Webb vai trabalhar juntamente com os produtores Avi Arad e Laura Ziskin no desenvolvimento do projeto, que começará a ser produzido ainda no final deste ano.

Comentando o anúncio, Amy Pascal, co-presidente da Sony Pictures Entertainment, e Matt Tolmach, presidente da Columbia Pictures, disseram: “Na sua essência, Homem-Aranha é uma pequena e íntima história humana sobre um adolescente comum que se encontra em um épico mundo super-humano. A chave para nós, enquanto buscamos um novo diretor foi identificar os cineastas que poderiam dar um foco nítido para a vida de Peter Parker. Nós queríamos alguém que pudesse captar o temor de estar no lugar de Peter, alguém que fizesse com que o público pudesse experimentar seu sentimento de descoberta enquanto lida verdadeiramente com a emoção, ansiedade e negligência desta idade. Somado a isso, toda a adrenalina de uma aventura do Homem-Aranha. Acreditamos que Marc Webb é a escolha perfeita para nos conduzir por essa jornada.”

Arad e Ziskin complementam: “Ao longo dos anos, as historias em quadrinhos do Homem-Aranha contaram com ousados e criativos novos artistas e escritores que re-calibraram o modo como o público via Peter Parker. Marc Webb vai fazer com a nova direção do filme o que muitos destes visionários contadores de historias fizeram com os gibis. Ele é um diretor inacreditavelmente talentoso e estamos ansiosos para trabalharmos junto com ele nesta nova aventura.”

Webb diz: “Este é um sonho que se torna realidade e eu não poderia estar mais ciente do desafio, responsabilidade ou oportunidade. A virtuosa visão de Sam Raimi sobre Homem-Aranha é um precedente para tomar como base e poder construir sobre ele. Os três primeiros filmes são amados por uma boa razão. Mas eu acredito que a mitologia de Homem-Aranha transcende não apenas gerações, mas diretores também. Estou aceitando o desafio não para assumir o papel de Sam. Isso seria impossível, sem mencionar arrogante. Estou aqui porque há uma oportunidade para ideias, historias e contos que agregarão uma nova dimensão e voz criativa para o Homem-Aranha”.

Stan Lee, co-criador de Homem-Aranha, complementa: “Estou animado que a Sony Pictures tenha escolhido um diretor com real propensão e entendimento do personagem. Esta é uma corajosa e arrojada direção para a franquia, e eu mal posso esperar para ver o que Marc fará em seguida.” O presidente da Marvel Studios adiciona: “A idéia de re-imaginar nas telas a historia de um dos mais icônicos super-herois do mundo é garantia de uma emocionante nova dimensão para os fãs de Homem-Aranha de todo o mundo. Há inúmeros volumes de quadrinhos e material disponível para inspirar uma nova e atraente visão cheia de sentimento sobre a jornada de Peter Parker como o Aranha e estamos ansiosos para ver isto ganhando vida nas telas”.

>>>
Para ler mais sobre o Homem-Aranha e ver fotos em alta resolução, clique aqui. Para baixar wallpapers com o herói, clique aqui. A imagem que ilustra este texto também pode ser ampliada em boa resolução e se tornar um papel de parede para o seu desktop.

Homem de Ferro 2: começa a formação dos Vingadores

CLIQUE AQUI PARA AMPLIAR ESTA IMAGEM EM BOA RESOLUÇÃO
Com a foto de uma claquete com a data do primeiro dia das filmagens de Homem de Ferro 2, a Marvel Studios, subsidiária da Marvel Entertainment, Inc., divulgou o início dos trabalhos da aguardada continuação das aventuras CLIQUE AQUI PARA AMPLIAR ESTA FOTOdo gladiador dourado. A produção deve servir também para introduzir alguns elementos que culminarão com a criação de um supergrupo de heróis, cujo o ápice será em 2012 com o lançamento do filme dos Vingadores. Mas, espere um momento! Os Vingadores não estava previsto para estrear em 2011 (como informei aqui e aqui)? É verdade… mas a Marvel adiou todos os projetos dos personagens ligados a esse supergrupo. Assim, além do Homem de Ferro 2 que teve data alterada para 7 de maio de 2010, as novas adaptações cinematográficas dos outros personagens foram reagendadas para as seguintes datas: Thor, em 20 de maio de 2011, Capitão América (The First Avenger: Captain America) em 22 de julho de 2011 e Os Vingadores (The Avengers) em 4 de maio de 2012.

O novo filme do Homem de Ferro continuará sendo dirigido por Jon Favreau e a dupla Robert Downey Jr. e Gwyneth Paltrow (foto abaixo) repetem seus papéis do primeiro filme. Há que se comemorar ainda a inclusão da bela Scarlett Johansson no elenco. Don Cheadle substitui o simpático Terrence Howard que não aceitou a quantia oferecida para continuar interpretando o Coronel James ‘Rhodey’ Rhodes, amigo de Tony Stark. No elenco ainda aparecem Sam Rockwell, John Slattery, Mickey Rourke e Samuel L. Jackson. O roteiro está a cargo de Justin Theroux e a produção será distribuída internacionalmente pela Paramount Pictures (exceto na Alemanha e na Áustria).
Robert Downey Jr. é Tony Stark e Gwyneth Paltrow sua fiel assistente Pepper Potts - CLIQUE AQUI PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM BOA RESOLUÇÃO
Homem de Ferro 2 está sendo produzido pelo Presidente da Marvel Studios, Kevin Feige e seus produtores executivos são Louis D’Esposito, Jon Favreau, Stan Lee, David Maisel, Denis Stewart e Susan Downey. Homem de Ferro foi o primeiro filme de longa metragem de produção independente da Marvel Studios e arrecadou mais de meio bilhão de dólares de bilheterias em todo o mundo.

O Incrível Hulk na Cidade Maravilhosa


Recebi algumas fotos de cenas e de bastidores do filme O Incrível Hulk (The Incredible Hulk) que compatilho com os leitores deste blog. As imagens são das filmagens no Rio de Janeiro. Há cenas na Lapa (foto maior acima e abaixo à direita) e na favela Tavares Bastos que fica em Santa Tereza. Essa favela foi escolhida para simular a Rocinha, pois a produção do filme não conseguiu “autorização” para filmar na original.
Edward Norton corre, na favela Tavares Bastos, em Santa Tereza - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO Louis Leterrier, diretor do filme, orienta Edward Norton durante as tomadas na Lapa - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
As cenas de “brasileiros” falando “português” no filme rederam muitas críticas, como pode ser conferido nesta matéria publicada no Folha Online, onde o repórter Marco Aurélio Canônico entrevista o diretor Louis Leterrier, que pediu desculpas pela gafe. “Eu queria usar mais atores brasileiros, mas era muito caro levá-los para o Canadá, onde passamos três meses filmando os interiores (dos barracos e da fábrica).” Disse o realizador, que é francês. “Eu entendo; também não gosto quando as produções dos Estados Unidos vão filmar na França e usam apenas meia dúzia de atores franceses. Só posso me desculpar.”
Edward Norton - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO Corra, Edward Norton! - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Edward Norton na favela - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTOLendo essa matéria ficamos sabendo que o diretor pesquisou locações na internet e achou fantástica a Rocinha. “Era exatamente o tipo de lugar em que alguém que estivesse fugindo da lei se esconderia.” E olha que Leterrier não viu nada! Quem mora no Rio sabe muito bem disso. Mas ele parece ter adorado os cariocas: “O mais fantástico foram as pessoas, tão gentis e alegres por estarem participando”. Infelizmente, uma boa parte da cidade do Rio de de Janeiro está muito suja e perigosa! Mas, apesar disso, as pessoas continuam gentis.
Edward Norton no meio de caixas de cerveja - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
As fotos que ilustram este texto podem ser baixadas em alta resolução. Para tanto basta escolher a foto e clicar nela para fazer o download. CLIQUE AQUI para ver (e baixar) papéis de parede do Hulk!

Um trailer inédito do Homem de Ferro!

Veja este ví­deo-trailer do Homem de Ferro completamente inédito que produzimos. Foi supersimples: selecionamos as fotos e, com a ajuda do site Animoto, produzimos este trailer com quase um minuto e meio. Clique e Assista.

[clearspring_widget title=”Animoto.com” wid=”46928cc51133af17″ pid=”48a71f02ea608b92″ width=”432″ height=”260″ domain=”widgets.clearspring.com”]

CLIQUE AQUI para fazer download de papéis de parede do Homem de Ferro e CLIQUE AQUI para ler mais sobre os personagens da Marvel.

O Incrivel Hulk versus Hulk: quem ganha essa?

Hulk esmaga o Abominável - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Muito se falou contra Hulk, de Ang Lee, produção lançada em junho de 2003 no cinemas. Por isso, ao decidir filmar uma nova aventura do Golias Esmeralda, a Marvel colocou de lado tudo o que foi realizado Edward Norton - CLIQUE PARA AMPLIARnaquela adaptação e refez sua história a partir do zero. Para esquentar a trama, chamaram um diretor com certa intimidade em filmes de ação – o novato Louis Leterrier –, outro elenco foi escalado e O Incrível Hulk chegou aos cinemas novamente cinco anos depois do fracasso de Ang Lee.

Agora, depois de mais de um mês de exibição, já temos parâmetros para ver se todas as mudanças realizadas surtiram efeito e descobrir qual dos dois filmes teve melhor carreira nos cinemas: a  produção cerebral de Lee ou a ação incontida de Leterrier? Bom… se compararmos os primeiros 31 dias de exibição nos Estados Unidos, as duas produções ficam no empate técnico! Surpresa? Não… de jeito nenhum. Enquanto Hulk arrecadou pouco mais de US$128 milhões, O Incrível Hulk chegou a quase US$130 milhões. Um diferença muito pequena para quem apostou em muita ação e num renascimento do personagem nos cinemas.
 Liv Tyler e William Hurt - CLIQUE PARA AMPLIAR
Mas, então, o que houve? Para mim a resposta é simples: os produtores não tiveram respeito na adaptação do personagem para os cinemas. Esqueceram as origens do personagem no árido deserto, local onde o Hulk viveu se encondendo da implacável perseguição do General Ross, que não é um personagem sem caráter, como neste filme.
Hulk encara "homenzinho" - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO
Tanto na primeira adaptação, quanto nesta, a história do Hulk ficou em segundo plano. Claro que há acertos nas duas. Mas há mais equívocos. O segundo filme é melhor? É, mas não traz o resultado que um personagem com as características do gigantesco monstro e seu frágil alter ego poderiam proporcionar. Algo que Stan Lee imaginou ao criar o monstro verde; um ser com os conflitos de O Médico e o Monstro e Frankenstein reunidos num personagem que se torna um… super-herói. É demais! O cinema ainda deve uma grande adaptação para o Golias Esmeralda: ele precisa de um ótimo roteirista e de um diretor muito competente. Aí, sim, a bilheteria do monstro dobra!

Só para se ter uma idéia de comparação: O Homem de Ferro, adaptação que recebeu um tratamento muito mais respeitoso e adequado ao personagem por parte de seu diretor, Jon Favreau, e da própria Marvel, arrecadou em 31 dias de exibição, US$276 milhões! Mais que o dobro arrecadado pelo filme de Leterrier!
Hulk descansa ao lado de sua amada - CLIQUE PARA AMPLIAR O diretor Leterrier ao lado de Norton, durante as filmagens de O Incr�vel Hulk - CLIQUE PARA AMPLIAR
CLIQUE AQUI para ler mais, baixar fotos e ver o trailer do filme e CLIQUE AQUI para baixar papéis de parede do Hulk. Aproveite para ler também este texto em especial.

O primeiro trailer do Incrível Hulk

Os produtores do filme O Incrível Hulk estavam tentando matar os fãs do verdão de ansiedade. Mas, finalmente eles tiveram clemência e liberaram o primeiro trailer desta superprodução, juntamente com uma série de fotos legais. As fotos publicarei em breve numa resolução boa. O trailer você pode assistir agora e perceber que esta aventura parece dar de dez a zero naquela história patética da produção de 2003, dirigida por Ang Lee. Clique e confira.

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. from www.movieweb.com posted with vodpod

Navegue mais!
Para baixar papéis de parede (wallpapers) clique nos links de seu interesse:
Tropa de Elite | Alien | Batman | Drácula | O Justiceiro (Punisher)
Para ler mais e baixar fotos: O Homem de Ferro | Tropa de Elite | Indiana Jones | Speed Racer

Quem tem medo de uma boa adaptação?

Os Três MosqueteirosO que será que os amantes dos clássicos da literatura diriam se soubessem que Hollywood prepara uma nova versão da célebre obra de capa-e-espada Os Três Mosqueteiros, porém com algumas “pequenas” adaptações? Por exemplo, você poderia imaginar que o personagem D’Artagnan seria um samurai criado no Japão e que retornaria à França para vingar-se de Porthos, que no passado teria matado seu pai? Porthos, por sua vez, morreria na metade do filme e o Rei Luís XIII teria um affair com Rochefort. Ficou arrepiado só de pensar nessas mudanças na genial obra de Alexandre Dumas?

Pois é! Mas é mais ou menos assim que Hollywood trata diversas obras dos quadrinhos quando estas são adaptadas para o cinema. Com algumas honrosas exceções (caso de Sin City e 300), a grande maioria dos filmes baseados nos quadrinhos são absolutamente desrespeitosos com o original. Tudo bem, alguns personagens dos comics não podem ser considerados como obras imutáveis. É de sua característica uma certa evolução conforme o tempo. Principalmente se pensarmos nos personagens americanos, que são lançados em revistas mensais cujas tiragens são altas e, por isso mesmo, têm uma grande obrigação de manter um público fiel, mesmo que, para isso, aconteçam algumas mudanças em suas histórias originais. Mas, há certos parâmetros que já são tão clássicos que não há porque fazer qualquer Homem-Aranhaalteração! Ou você, alguma vez, poderia imaginar um Rei do Crime (Kingpin) que não fosse imenso, forte e branco? Muito menos poderia, sequer pensar, numa Lana Lang ou numa Alicia Masters que não fossem louras ou ainda, numa Lois Lane que não fosse morena e que conhecesse Clark Kent apenas quando este começasse a trabalhar no Planeta Diário. É também impossível imaginar Gwen Stacy sem ser o primeiro grande amor* de Peter Parker. Certo? Errado! Para Hollywood nada disso importa. X-Men, Super-Homem, Elektra, Quarteto Fantástico… Nem vou falar sobre eles agora. Tomemos como base a série do Homem-Aranha, cujo terceiro filme estreou na sexta-feira, dia 4 de maio.

O primeiro filme do cabeça de teia foi tão ruim, tão desrespeitoso com o personagem, com tantas mudanças em sua história clássica, que qualquer coisa que se faça agora na série – cujo quarto filme já está confirmado, com ou sem Sam Raimi –, não irá colocar um dos mais queridos personagens dos quadrinhos dentro de uma cronografia no mínimo plausível. Nem vou aqui falar de todos os absurdos que o roteirista, o diretor e os produtores fizeram (e olha que tem gente da Marvel na equipe). Vou comentar apenas alguns deles.

Harry Osborn é a cara do paiVamos começar pela escolha dos atores: Sou fã do Willem Dafoe, mas escolhê-lo para fazer o papel de Norman Osborn é completamente descabido. Da mesma forma, escolher James Franco para fazer seu filho Harry (desenho ao lado) e Kirsten Dunst para interpretar Mary Jane. Os três, nem com muita boa vontade, se parecem com os personagens. Mal comparando, é como escolher Halle Berry para fazer o papel de Jeannie se fossem fazer um filme baseado no famoso seriado Jeannie é um Gênio (I Dream of Jeannie). Ela é ótima, mas nunca para esse papel!!!

A boa notícia é que Rosemary Harris, como Tia May, e J.K. Simmons, como o inescrupuloso editor J.J. Jameson estão perfeitos. E neste terceiro filme, o Homem-Areia parece ter saído dos quadrinhos graças à caracterização do ator Thomas Haden Church.

Mary Jane na WikipediaMas a péssima escolha de certos atores não foi o pior do primeiro filme do Aranha. A Mary Jane do cinema é um personagem completamente equivocado e fora de contexto. Originalmente ela é uma garota extrovertida, de bem com a vida, totalmente diferente de sua personagem nas telas. Aliás, o primeiro filme do Aranha deveria começar com o romance de Gwendolyne e Peter. A força dessa personagem, e de seu pai, na vida de Parker (e dos leitores no Aranha) não tem precedentes. A história em que Gwen morre nas mãos do Duende Verde se tornou um grande clássico dos quadrinhos e é sempre lembrada como uma das melhores tramas já publicadas pela Marvel. Há até um verbete na Wikipédia a respeito. Só agora, no terceiro filme, é que se lembraram de colocar Gwen e seu pai. Mas, como era de se esperar, fora de contexto (é claro). Nem consigo imaginar o que os produtores da série pensam em fazer com esses personagens no quarto filme (se é que vão fazer alguma coisa).Spider Man - The Death of Gwen Stacy

E o Duende Verde, então? O que fizeram com o diabólico personagem nas telas nem ele merecia!… O que era aquilo?!!! Mais parecia um personagem saído de algum seriado dos Power Rangers!!! O excepcional desenhista Alex Ross criou uma caracterização bem plauzível para o Duende Verde do cinema, mas não foi aprovada (veja aqui). Os produtores preferiram aquela caracterização ridícula! O que é isso, companheiro?!

Outra detalhe importante não foi bem explorado no primeiro filme: a grande (e divertida) rivalidade entre Jameson e o Homem-Aranha! Nos quadrinhos era comum o Aranha fazer algumas brincadeiras com o editor, como por exemplo, pendurá-lo ou amordaçá-lo com sua teia em “agradecimento” à maneira “gentil” como ele é tratado nas reportagens do Clarin. No filme existe a rivalidade mas faltou essa irreverência.

Gosto do diretor Sam Raimi desde seu divertido filme Uma Noite Alucinante (Evil Dead), que mudou o gênero de terror nos cinemas. Darkman – Vingança Sem Rosto é outro filme que é pura história em quadrinhos. Mas, faltou ao diretor e aos produtores do primeiro filme do Homem-Aranha uma certa reverência ao personagem criado por Stan Lee e Steve Ditko. Afinal, esse personagem teve o mérito de introduzir, entre os super-heróis, um lado humano até então inédito nos comics. Há que se ter respeito com toda essa história.

O Homem-Aranha 3 é um ótimo filme de ação e aventura que a garotada vai curtir. Pena que o personagem foi tão mal adaptado e tão descaracterizado no primeiro filme.

Homem-Aranha X Homem-Areia* Antes de Gwen, Peter teve um affair com uma colega de turma e com a secretária de Jameson, Betty Brant… mas isso não foi nada demais ;>)

PS: Se você quer baixar alguns papéis de parede do Homem-Aranha, clique aqui. Para ampliar a imagem acima do Homem-Aranha do cinema, clique aqui. A cena ao lado mostra a luta do Homem-Areia contra o Homem-Aranha no cinema. Veja a semelhança com o desenho de abertura da história Nada Detém o Homem-Areia aqui.

Assim no Iraque como no Vietnam

Crise existencial do Capitão América - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA IMAGEM
Reli o capítulo de autoria de Jô Soares no livro Shazam!, de Álvaro de Moya (série Debates; Editora Perspectiva), onde ele escreve sobre o ressurgimento do Capitão América e suas conseqüências. Lá pelas tantas, ao comentar sobre o retorno do “moderno deus da guerra” após o ostracismo que o personagem viveu quando terminou a Segunda Guerra Mundial ao “passar por um longo período de hibernação”, o autor pergunta (mas não responde): “Terá a sua reaparição alguma coisa a ver com a participação dos EUA no Vietnã?”. Não satisfeito, Jô continua a questionar: “Que rumo tomaria a crise no sudoeste asiático com a participação ativa do Capitão América?”. No final de sua análise, Jô levanta apenas duas saídas: “ou o Capitão América, evocando suas glórias passadas, desperta novamente o antigo chauvinismo (…) ou terá que travar uma luta solitária e suicida nos pantanais do Vietnã”.

Na imagem acima (clique nela para ampliá-la) vemos um Capitão em dúvida existencial e ideológica em pleno final da década de 60, e esse fato foi um marco para os quadrinhos (a revista foi lançada em dezembro de 1969 nos EUA). A história – de Stan Lee, magistralmente ilustrada por Gene Colan e Joe Sinnott – se chama O Ferrão do Escorpião e foi publicada, no Brasil, na revista A Maior nº5, da Editora Brasil-América, em outubro de 1970. O herói-bandeira se perguntava se os rebeldes estavam errados e lamentava: “não fui ensinado a aceitar as regras de hoje em dia!”, para depois colocar em dúvida tudo pelo qual lutou: “talvez fôsse melhor eu ter lutado menos e perguntado mais”.

Hoje, 35 anos depois do lançamento do livro de Álvaro de Moya, parece que o Capitão despertou de vez o antigo chauvinismo (será que algum dia esse fanatismo americano esteve adormecido?) e está mais decidido do que nunca a lutar contra os inimigos da (estátua da) liberdade. Deve ser por isso que os EUA tem um saldo tão positivo na Guerra do Iraque.

PS: A revista A Maior também trazia as aventuras do Homem de Ferro e Thor.

Para baixar papéis de parede do Capitão América, clique aqui.

Sargento Kirby, General Kubert, Soldado Buscema

MudercycleVocê certamente já ouviu falar nesses nomes. Só que sem as patentes. Na realidade estes são personagens de um filme trash chamado Mudercycle. Acabei de descobrir a existência dele na internet, e achei divertido quando descobri que seu roteirista deu nomes de pessoas lendárias ligadas aos quadrinhos americanos aos principais personagens do filme. Assim, além dos três citados no título, que fazem referência a Jack Kirby, Joe Kubert e John Buscema, desfilam pela história Dr. Lee, Wood, Ditko, Dr. Adams, Soldado Frazetta; numa referência clara a, respectivamente, Stan Lee, Wally Wood, Steve Ditko, Neal Adams e Frank Frazetta. Uma diversão à parte para quem curte quadrinhos.

Se você quer conhecer um pouco mais sobre esse filme, visite o site The Science Fiction, Horror and Fantasy Film Review (que parece estar sendo construído) e vá até a página da resenha do filme. Encontrei o filme também na loja CD Point, para quem tiver interesse em comprá-lo.