Um sexteto fantástico, eles são verdadeiros ícones da Marvel


Parece incrível, mas em 2011, o ano em que o Quarteto Fantástico (Fantastic Four) comemorou seus 50 anos de criação não aconteceu nenhuma grande comemoração ou homenagem. E olha que a revista desses personagens antológicos, lançada com data de capa de novembro de 1961 (ao lado), marcou o início da gloriosa “Era Marvel”, quando seus criadores, o editor Stan Lee e o desenhista Jack Jirby introduziram problemas existenciais no gênero super-heróis. Ambos escreviam as histórias do Quarteto Fantástico, que foi o primeiro grupo de heróis criado para a Marvel e se tornou um divisor de águas nos comics americanos.

Os personagens Reed, Ben, Sue e Johnny ganham poderes extraordinários quando são expostos a misteriosos raios cósmicos durante uma viagem espacial. Ao voltarem à Terra, demoram a se acostumar com seus poderes (principalmente o monstruoso “Coisa“) e enfrentam problemas de despejo, reclamações de vizinhos e diversas dificuldades comuns ao dia-a-dia das pessoas, enquanto têm que enfrentar perigosos vilões! Nem “uniformes” eles vestiam nas duas primeiras edições da revista. Algo totalmente novo e criativo para a época.


Mas, Jack Kirby e Stan Lee voltaram a revolucionar as histórias do grupo cinco anos depois, em 1966, quando seus leitores seriam apresentados a Galactus, o Devorador de Mundos (acima), e seu arauto o Surfista Prateado, este uma criação exclusiva de Kirby. Foram três histórias, conhecidas como a Trilogia de Galactus, onde o Quarteto Fantástico tem que salvar o planeta desse ser gigantesco e extremamente poderoso. Nesse meio tempo, o Surfista Prateado passa de vilão a herói, ao se voltar contra Galactus, o Devorador de Mundos, que ele servia.

Ou seja: 2016 chegou, passou e também não houve nenhuma comemoração para os 50 anos de criação destes dois personagens ícones da Marvel: o Surfista Prateado e Galactus, o Devorador de Mundos!

Como sempre acontecia, o Brasil só conheceu esses personagens muito tempo depois. O Quarteto Fantástico só foi lançado por aqui em janeiro de 1970, na revista mensal Estréia!, da Ebal. A trilogia que apresentou Galactus e o Surfista Prateado aos leitores brasileiros chegou também com muito atraso e só foi publicada em 1974, na revista do Homem Aranha (a revista com o Quarteto já havia sido cancelada e as aventuras dos quatro heróis passaram a sair na revista mensal do Cabeça de Teia).

Esse atraso causou um fato inusitado: Galactus apareceu primeiro numa história do Thor publicada em sua revista mensal Álbum Gigante lançada em maio de 1970 pela Ebal. Os leitores das revistas da Ebal conheceram primeiro Galactus e só quatro anos depois tiveram contato com o Surfista (embora ele tenha sido publicado em algumas edições da GEP-Gráfica Editora Penteado, entre 1969 e 1970).

Ao lado, a primeira aparição do Surfista Prateado. No quadro abaixo, podemos ver que a decisão de romper com Galactus para preservar a vida na Terra fez do Surfista Prateado um prisioneiro na Terra e, embora ele não tenha se arrependido, o deixou angustiado.

As imagens em preto e branco foram digitalizadas a partir das histórias que compõe a Trilogia de Galactus publicadas nas revistas da Ebal. Todas as imagens que ilustram este texto podem ser ampliadas em ótima resolução.

Para baixar dois wallpapers exclusivos do Surfista Prateado desenhado pelo genial Moebius (Jean Giraud), CLIQUE AQUI!

Anúncios

Homem Aranha encara os X-Men na Marvel

Para comemorar seus 70 anos, a Marvel Comics organizou uma votação entre seus leitores para eleger as 70 melhores revistas em quadrinhos de todos os tempos lançadas pela Casa das Idéias e o resultado foi divulgado no final do mês passado. E qual foi a revista mais votada? Exatamente! A edição n°15 da revista Amazing Fantasy, que foi lançada nos Estados Unidos em agosto de 1962. A preferência dos leitores se justifica pois foi nesse número que se publicou a primeira aventura do mais popular e carismático personagem da Marvel, o Homem-Aranha. Em segundo lugar ficou a revista do Quarteto Fantástico (Fantastic Four #48) com a história da chegada de Galactus e seu arauto, o Surfista Prateado e em terceiro lugar ficou a revista Giant-Size X-Men n°1 que traz a reformulação da equipe de mutantes promovida por Len Wein, que escreveu, e Dave Cockrum, que desenhou a história.

Mas essa eleição mostrou também que os X-Men estão por cima da carne seca: do grupo de heróis mutantes foram escolhidas nada menos que 19 revistas. E isso sem contar com as histórias solo de Wolverine, com três revistas no total. Eles ultrapassaram de longe o cabeça-de-teia, que teve 10 revistas selecionadas entre as 70 melhores.
  
Entre as revistas dos X-Men que foram votadas pelos leitores estão o primeiro número que apresentou “os mais estranhos super-heróis” (imagem de cima à esquerda), a aparição e a morte da Fênix e a edição especial Deus Ama, O Homem Mata (God Loves, Man Kills). Esta história foi lançada pela primeira vez no Brasil em janeiro de 1988 (há pouco mais de 21 anos, portanto!) com o título de O Conflito de uma Raça, inaugurando a série Graphic Novel, da Editora Abril, que passaria a publicar histórias gráficas bem especiais com personagens da Marvel e da DC. Em maio de 2003 a Panini relançaria a aventura num álbum especial, mantendo a tradução literal do nome da história e mudando a capa (compare as duas versões abaixo). As primeiras aventuras do grupo de mutantes comandados pelo Professor Xavier podem ser conferidas no livro Biblioteca Histórica Marvel – Os X-Men, Volume 1 (imagem de cima, à direita), que a Panini lançou no ano passado. É uma edição luxuosa, com belíssimo acabamento gráfico e indispensável para os fãs.
  
Outros personagens que tiveram revistas lembradas foram os Vingadores (Avengers, New Avengers) com 6 edições, Capitão América (Captain America) com 5; Quarteto Fantástico (Fantastic Four) com 4 e o Incrível Hulk (The Incredible Hulk) com 3. Entre os desenhistas, Jack Kirby, o Rei, é o que teve mais histórias selecionadas nesse panteão da Marvel. Junto com ele estão artistas como Steve Ditko, John Byne, John Cassaday, David Finch, John Romita, Andy Kubert, Steve McNiven e muitos outros. O desenhista brasileiro Mike Deodato também aparece numa das revistas escolhidas (Dark Avebgers n°1). Mortes de personagens, primeiras aparições e casamentos foram temas bem lembrados, além das primeiras edições de publicações que fizeram história, como Spider Man, Avengers, The Incredible Hulk e Captain America Comics.

 para conferir a lista completa com as 70 revistas escolhistas pelos leitores da Marvel.

Para ler mais sobre os personagens da Marvel, CLIQUE AQUI. Veja também todos os papéis de parede com personagens marvel que publicamos neste blog.

Wolverine: o baixinho e o gigante

Hugh Jackman é Wolverine - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM ÓTIMA RESOLUÇÃO
O novo filme da franquia dos X-Men trata da origem de Wolverine que, como todos sabem, é o baixinho mais invocado dos quadrinhos. Assim, junto com a Mônica, a baixinha mais invocada dos quadrinhos, eles formariam um casal bem irado (no sentido literal da palavra). Com seus quase 1.90 m, o gigante Hugh Jackman – ator que dá vida ao personagem – não deveria ser a escolha ideal para interpretar o personagem. Porém, Jackman encarnou tão bem o herói da Marvel que essa enorme diferença na altura foi bem assimilada pelos fãs dos quadrinhos.
Sai da frente que Wolverine escapou! - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM BOA RESOLUÇÃO
O mais jovem de cinco irmãos, Hugh Jackman nasceu em Sidney, Austrália, e se formou em Comunicação com especialização em Jornalismo pela University of Technology Sydney. Em seguida completou o curso de arte dramática pela Western Australian Academy of Performing Arts e imediatamente começou a fazer filmes e séries para a tv australiana. Justamente quando X-Men estreou nos cinemas a partir do ano 2000, e durante os cinco anos seguintes, o ator foi escolhido pela revista People como uma das “50 pessoas mais lindas do mundo” e em 2008 a mesma revista lhe deu o título de “o homem mais sexy”.
CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM BOA RESOLUÇÃO
Não é sem razão que Hugh Jackman recebeu inúmeros convites para viver heróis dos quadrinhos nas telas de cinema. Depois de assumir o papel de Wolverine em X-Men – personagem que o catapultou para a fama – ele foi convidado para ser o Justiceiro naquele filme-desastre de 2004 onde também atua John Travolta. Demolidor (Daredevil, 2003), Hulk (2003), Homem de Ferro (Iron Man, 2008) e Senhor Fantástico no primeiro filme do Quarteto Fantástico (Fantastic Four) foram outros personagens oferecidos ao ator. Além desses, ele foi considerado pela produção de Batman – O Cavaleiro das Trevas (The Dark Knight) para viver Harvey Dent/Duas-Caras, papel que coube como uma luva a Aaron Eckhart.
Logan e Victor Creed batem um papinho - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM BOA RESOLUÇÃO Gambit (Taylor Kitsch) é outro mutante que estréia nos cinemas - CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA FOTO EM ÓTIMA RESOLUÇÃO
As fotos que ilustram este texto podem ser ampliadas em boa resolução. A partir do poster-teaser abaixo (à esquerda) fiz um papel de parede bem legal que pode ser baixado juntamente com outros dois que produzi com imagens de divulgação desta superprodução. Então visite já nossa área de wallpapers com imagens do Wolverine.
CLIQUE AQUI PARA FAZER O DOWNLOAD DESTE POSTER CLIQUE PARA AMPLIAR ESTA IMAGEM EM BOA RESOLUÇÃO
 para ver todos os papéis de parede com personagens da Marvel publicados neste blog. Para ler mais sobre X-Men, .